Em contexto de mercados globais, a importância das cadeias de abastecimento é cada vez maior. Um dos aspectos mais relevantes da logística é a estratégia que a define, enquanto se desenvolve uma estratégia de cadeia de abastecimento, você deve considerar muitas coisas. 

Em primeiro lugar, é preciso ter uma perspectiva interna do sistema. Entenda sua estrutura, economia e exigências. Fazer isso você pode estabelecer as necessidades do sistema e suas limitações, mas também deve procurar uma perspectiva interfuncional e interagir constantemente com outros gerentes para ver o que a área de marketing, produção e finanças está fazendo. 

Uma das razões para fazer isso é maximizar o benefício total do canal, pois as decisões da cadeia de abastecimento afetam toda a empresa e o contrário. 

Acima de tudo, fazer uma gestão bem desenhada que fará avançar as metas da empresa e aumentará a lucratividade. 

Tático ou Estratégico? 

O papel de um gerente de cadeia de abastecimento é prestar atenção ao seu controle e coordenação diários. Portanto, você precisa combinar a visão estratégica de sua cadeia de abastecimento e levar em conta as questões táticas e analíticas que ocorrem. Estas duas combinações garantirão a funcionalidade da cadeia de suprimentos. 

Mas quais são as diferenças entre essas duas visões? 

A forma tática de pensar se concentra nos resultados a curto prazo. É mais quantitativa e detalhada, porém, a grande visão estratégica é um sentido amplo. Ela estabelece objetivos de longo prazo e se concentra no lado qualitativo. 

Podemos ver uma imagem do curso MITx Supply Chain, baseado em Shapiro e Haskett (1985): 

Esse diagrama, como colocado por Shapiro e Heskett, mostra a tensão entre as visões táticas e estratégicas. Essa complexidade é uma das razões que faz do trabalho do gerente da cadeia de abastecimento uma necessidade. 

Por que uma estratégia de Supply Chain? 

Primeiro, as organizações que lidam com Cadeias de Suprimentos devem ter uma estratégia geral. Elas têm objetivos e procedimentos-chave, indicadores de desempenho e definição de cultura. er trabalho uma necessidade. 

Portanto, a funcionalidade da cadeia de abastecimento é fundamental para formular uma estratégia global. Ela estabelece uma direção de operações para chegar ao ponto em que a empresa deseja. 

Esta é uma estratégia empresarial ou uma estratégia competitiva, em outras palavras, sua função é fazer com que os objetivos se tornem decisões e ações. É uma tradução de objetivos de alto nível em políticas e escolhas mais específicas. 

Além disso, a maioria das áreas da cadeia de fornecimento deve ser incluída ao se referir a uma estratégia, que inclui compras, logística, operações e vendas. Os aspectos-chave que devem ser considerados são qualidade, sustentabilidade, nível de serviço e segurança. 

As 5 forças de Porter 

O professor de Harvard Michael E. Porter definiu um método para avaliar a competitividade de uma empresa. Ele considera cinco aspectos que vão desde a capacidade de aumentar o lucro até a rivalidade com os concorrentes. As cinco forças são: 

  1. Rivalidade Interna: a concorrência entre as empresas existentes. Ela é avaliada pelo número de concorrentes existentes, taxa de crescimento do mercado, oferta e demanda. 
  1. Ameaça de novos participantes: como é difícil se tornar uma empresa competitiva em um mercado. Ela analisa a tecnologia, marca, reconhecimento, leis e regulamentos. 
  1. Substituição: quais são os possíveis substitutos de seu produto no mercado? 
  1. Poder dos Fornecedores: número de fornecedores disponíveis, substitutos de material, número de clientes de um fornecedor. 
  1. Poder dos clientes: a quantidade comprada por cada cliente, disponibilidade de produtos similares nos concorrentes, margem de lucro, etc. 

Embora estes pontos sejam freqüentemente usados para avaliar uma estratégia firme, Porter afirma que a estrutura é projetada para avaliar um nível de linha de negócios da indústria, não um nível de setor industrial. 

A Matriz de Crescimento e Compartilhamento

Na mesma linha, uma ferramenta importante é a matriz de crescimento compartilhado, desenvolvida pela Boston Consulting Group. Você pode usar esta ferramenta para administrar uma carteira de negócios dentro de uma empresa. 

A teoria afirma uma matriz de dois por dois que classifica as linhas de negócios. 

A primeira categoria é a de Estrelas, que inclui empresas com taxas de crescimento mais elevadas e maior participação no mercado. Normalmente, essas empresas têm muito dinheiro e exigem grandes investimentos para se manterem.  

Em segundo lugar, existem as vacas à vista, empresas com muita participação de mercado, mas com taxa de crescimento mais lenta, que também movimentam muito dinheiro, mas que não têm muitos investimentos. 

A terceira é a dos Cães. Negócios com baixa participação de mercado e baixa taxa de crescimento, acima de tudo, não movimentam muito dinheiro e, portanto, não geram muito lucro. A melhor estratégia aqui é o desinvestimento. 

Finalmente, há o Ponto de Interrogação, ou seja, empresas com alta taxa de crescimento, mas baixa participação no mercado. Com estes casos, a estratégia é investir, aumentando a participação de mercado e realocando recursos. 

Em suma 

Em suma, uma estratégia de Supply Chain é um par de decisões que estabelecem um padrão de funcionalidade para um negócio. Eles consideram os produtos, capacidade de planejamento, conversão de matérias primas e outras coisas. 

A idéia por trás de uma estratégia de cadeia de abastecimento é garantir que uma empresa atinja os objetivos que ela estabeleceu. Ela precisa assegurar vantagens competitivas, reforçar as atividades e otimizar o esforço.  

Em conclusão, uma estratégia de sucesso é o resultado de muitas coisas bem feitas e integradas umas às outras, garantindo a eficiência de toda a empresa e de cada uma de suas divisões.

Com Inteligência Artificial ferramentas que permitem automatizar os processos operacionais e liberar tempo para pensar mais estrategicamente. Entenda como o Supply Brain pode lhe ajudar. Agende uma conversa!


    [email protected]

    Belo Horizonte

    Rua Carlos Alves, 88 -101 – São José

    São Paulo

    Cubo Itaú – Alameda Vicente Pinzon, 54 – Vila Olímpia

    pt_BRPortuguese